O contato com natureza sempre me fascinou, a interação com a força do Criador me impulsiona a tentar ser uma pessoa melhor e me ajuda a lidar com os problemas inerentes ao existencialismo humano. A fotografia consegue, em sua limitação, congelar referidos momentos, permitindo ainda compartilhar ditas emoções e histórias com um número grande de pessoas, além de me proporcionar revisitar lugares especiais que tive a honra e a benção de conhecer.

Dois fotógrafos de natureza particularmente me inspiram, o primeiro foi o saudoso Luiz Cláudio Marigo também conhecido pelas lindas fotos contidas na coleção do famoso chocolate Surpresa da Nestlê. Luciano Candisani, colaborador da National Geographic, também autor de vários livros e conhecido defensor da natureza, é uma referência não somente na fotografia como também na conservação, suas fotos incorporam a vida selvagem em seu ambiente, transparecendo além de fantásticas histórias, poesia.

Neste tópico apresento parte do meu singelo trabalho fotográfico, com a esperança que possa despertar em quem ver os sentimentos acima relatados.
“A fotografia é máquina para, em vez de representar, captar. Captar forças, movimentos, intensidades, visíveis ou não; e não para representar o real; porém, para produzir e reproduzir o que é passível de ser visível (não o visível)”. André Rouille.